Sociedade dos poetas: mortos

A sociedade perdeu seu conteúdo. Infelizmente. A cada dia me deparo mais e mais com a falta de “consistência” nas ideias, a falta de relevância e principalmente a falta de inteligência que assola nossas vidas. Conteúdos vazios são constantes no dia a dia de um povo que naturalmente já é desfavorecido, culturalmente falando, mas também pudera, nós colaboramos ferozmente com essa situação seja publicando e compartilhando conteúdos vazios e sem importância, seja deixando de lado o que deveria ser prioridade. É importante ressaltar que ao me referir a sociedade também me incluo, óbvio, pois sei também que estou deixando de fazer a minha parte, mas seria uma luta no mínimo desleal querer ir contra a maioria esmagadora. No entanto, tenho consciência plena de que nos meus textos tento sempre utilizar meus melhores artifícios, é o que me resta.

Hoje pela manhã estava me arrumando para ir ao trabalho e na TV passava o Mais Você, programa da Ana Maria Braga, fiquei extremamente incomodado pelo fato de o programar exibir uma reportagem especial por fazer um mês da tragédia de Santa Maria, no Sul. Até onde vi, a matéria não contribuía em nada para ninguém, relembrar as vítimas e seu sofrimento, exibir o local da tragédia totalmente queimado é no mínimo desnecessário, principalmente porque com certeza haviam pessoas relacionadas aos mortos assistindo ao programa. Até onde vamos chegar pela audiência? A que ponto chegamos, sociedade?

As redes sociais são fontes inesgotáveis de baboseiras e principalmente conteúdos desnecessários, que são altamente difundidos e prontamente “adquiridos” em nosso mais profundo intelecto. É triste, mas é verdade. Obviamente que o espaço é livre e cada um pode publicar relativamente tudo, e confesso que algumas besteirinhas são bem engraçadas e eu, como ser humano que sou, também me divirto, mas é triste ver como nós perdemos tempo com tanta futilidade. A sociedade se perdeu.

Ontem li uma matéria sobre uma praia exclusiva no RJ, em que os “riquinhos”, como dizia a matéria, chegam a gastar R$ 3.000,00 em apenas um final de semana. Ainda segundo a matéria, a praia é para quem quer ver e ser visto. Sobre essa frase especificamente, pensei: Que diabos as pessoas esperam ver lá? Um bando de idiotas bêbados, provavelmente consumindo drogas ilícitas, sem inteligência alguma para uma conversa interessante? É isso que as pessoas querem hoje em dia? Se for isso mesmo, vou continuar bem sozinho, talvez seja melhor assim.

Talvez eu seja criticado pelas minhas colocações relacionadas à essas pessoas, mas se eu sou constantemente julgado por essa mesma sociedade por, talvez, não gostar do que a maioria gosta, por que eu não posso fazer o mesmo? O meu direito começa onde termina o seu, certo? Talvez eu esteja errado, talvez a sociedade evoluiu de uma forma que eu não consiga compreender, mas para mim, essa sociedade está bem longe da que eu gostaria de conviver ou criar meus filhos. Não existe mais poesia, não existe mais romantismo, não existe mais elegância, muito menos poetas modernos capazes de suprir a falta de conteúdo dessa nossa sociedade sofrida.

Etiquetado , , , , , ,

11 pensamentos sobre “Sociedade dos poetas: mortos

  1. Thais disse:

    Bruno, compartilho 130% dos seus sentimentos, e freqüentemente sou vista como a “estranha no ninho” por não aceitar o rumo das coisas e não entender pq está tudo assim tão maluco …
    Li uma matéria que essa situação não se sustentará por mto tempo. Se nada mudar, a sociedade vai sucumbir! Mas o prazo da matéria era 10 anos pra isso acontecer … 😱
    Enfim, vamos torcer pra melhorar !!!

    • Bruno Mansano disse:

      Pois é, Tha. O sentimento que eu tenho é que estamos perdidos dentro dessa “bolha”, e parece que isso vai durar um bom tempo. Infelizmente. Há pouco tempo fiz algumas viagens pra MG e fiquei espantando com algumas coisas, estava em uma festa de 15 anos em que as “crianças” entravam na fila pra pegar caipirinha e drinks, e os pais achavam normal. Fora os fumantes e consumidores de drogas como maconha. Parecia tão normal pra todo mundo que eu realmente fiquei espantado. É assustador.

  2. Pablo disse:

    ES-PE-TA-CU-LAR !!!

  3. Pablo disse:

    Os valores já foram trocados.
    “Não vos conformeis com este mundo…”

  4. PARABÉNS PELA REFLEXÃO. BASTANTE AUTÊNTICAS E RECORRENTES SUAS COLOCAÇÕES. DIANTE DESSA LOUCURA CONTEMPORÂNEA, RESTA-NOS CONSERVAR NOSSOS VALORES E TENTARMOS FAZER A NOSSA PARTE, AO INVÉS DE SERMOS APENAS “MAIS UM”…Abraço.

  5. Joao Camargo disse:

    Gostei do que você escreveu. Eu comecei um blog, mas parei. Quero voltar a escrever mais, porque é a única forma que encontrei de expor minhas ideias e, cada palavra que não consigo expressar. Quando eu li esse texto pensei em mim, pensei em como isso faz parte da minha visão de realidade e de como eu me sinto na sociedade. Sempre quando eu penso que sou diferente das pessoas, de modo negativo, eu lembro que, no fundo, as pessoas estão tão individualistas que perderam seu individualismo, as pessoas não pensam mais, não criticam e não se envolvem de verdade. Tudo é na base do superficial, do imediato, sem vínculo e sem obrigações. Sinceramente quando vejo o mundo, penso ” O que estou fazendo aqui?” As vezes eu acho que sou tão fora do contexto, contudo sempre quando analiso um pouco mais chego a conclusão contrária. Quero acompanhar o que você escrever, achei sem querer esse blog, mas agora quero acompanhar. Abraços!

  6. kinha1000 disse:

    Olá Bruno e amigos, encontrei seu blog assim como o Joao Camargo, de uma forma ‘sem querer’. Mas ‘curti’ seus posts. Desde que me conheço por gente, me sinto um peixinho fora dágua na sociedade em que vivemos. Sempre e sempre me deparo com coisas que me fazem ter certeza de que não pertenço a esta terra. Costumo brincar que ETs existem realmente (embora não acredito nem um pouco nesta teoria), mas costumo dizer que eu sou uma extraterrestre, pois as coisas que acontecem neste planeta não é aquilo que eu gostaria que acontece e como você disse, não é este o tipo de sociedade que eu imaginaria ser a ideal para constituir uma família e criar meus filhos.
    Mas gostaria de fazer uma observação, peço desculpas antecipadamente em invadir seu espaço e falar sobre isto, mas após inúmeros questionamentos, encontrei algo que me confortasse em viver ao meio desta sociedade. Eu sempre disse que gostaria de me trancar em uma caixinha e não sair de lá nunca mais, e muitas vezes atualmente me pego a pensar da mesma forma. Mas sabe, lendo a bíblia pude perceber que um planeta melhor, com pessoas, uma sociedade e tudo perfeito está sendo preparado para aqueles que acreditam e amam á Deus. Olha, eu acho tão belo a Criação. A vida é tão linda, eu fico tão maravilhada com tudo o que existe em nosso planeta, como seu post “Despertar”. São coisas tão lindas, a vida é linda, o ato de estar vivo, de respirar, de nascer, viver, morrer, a natureza, o céu, a sabedoria, o corpo humano, como todo ser vivo foi formado, cada célula, cada órgão, cada osso, tudo tão maravilhosamente encaixado, pensado … enfim… tudo é tão lindo… Se não fosse a ignorância humana na insistência de viver para si mesmos e pelas coisas materiais… Mas como tudo esta deturpado… o que nos resta é aguardar o tão grandioso dia em que seremos inseridos numa nova terra, num novo viver, cheio de paz… e eternamente. Somos apenas estrangeiros nesse mundo.
    “Mas, como está escrito:As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem,são as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Coríntios 2:9

    Há uma esperança!😉

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: