Peço apenas respeito, porque a educação se foi há tempos.

sp-caos.jpg

São Paulo, 02 de fevereiro de 2017 – 10h.

Infelizmente o título diz tudo. Já não espero educação de ninguém, pois é um item cada vez mais raro na constituição das pessoas, sobretudo os mais novos, que vivem num mundo à parte do que eu estou acostumado. Mas muito mais do que a falta de educação dos jovens, convivemos com a falta de educação dos pais desses jovens, que fazem filhos cada vez mais cedo, como se ter um filho sem a menor condição e estrutura para cria-lo fosse algo “mágico”, “incrível”, pronto para postar muitas e muitas fotos nas redes sociais.

E os mais idosos? Pois é, até neles a falta de educação já chegou, talvez pela falta de paciência com o mundo atual, fato é que eles também acham que, por serem mais velhos, devem ser respeitados acima de tudo. E o respeito mútuo pelo outro ser humano que está do outro lado?

Cheguei onde queria. O respeito. Seja no trabalho, no ônibus, na rua, no parque, comigo, com você, com todos! É o mínimo que espero, mas confesso ter pouco esperança, já que ele está seguindo os rumos da educação, o que é tão lamentável quanto, sem esses dois, a humanidade está indo em direção ao fracasso total, daqui a pouco não haverá amor, amizade, nada sobrará.

Tudo isso me faz lembrar do Trump, o presidente da maior potência mundial, que parece estar brincando em algum jogo de computador ao direcionar os rumos de negociações mundo afora. É realmente lamentável. Perdemos todos.

Precisamos garantir que os valores não se percam nas próximas gerações, confesso ter medo, muito mesmo, de que meus filhos e netos vivam em um mundo sem emoção, sem compaixão, sem respeito e sem amor. Oremos, com muita fé, para que uma força divina salve o pouco que restou.

BM.

Desafios pessoais e não-transferíveis.

bm-ironman-stcroix

Mudando um pouco de assunto, já que os últimos posts foram dedicados à política, hoje vou falar sobre os grandes desafios pessoais e não-transferíveis que terei este ano. Quem me conhece sabe que adoro esportes, desde bem pequeno. Comecei nadando aos 2 anos de idade, depois passei para o futebol, kart, tênis, boxe, musculação, corrida de rua, triathlon… Vixe! Muita coisa.

Este ano, terei dois grandes desafios, em 06 de agosto farei meu segundo meio Ironman(70.3), desta vez em Maceió, Alagoas, e em novembro farei a Maratona de Atenas, a original(de 1896), que possui o mesmo percurso utilizado nas Olimpíadas de Atenas, em 2004.

Considerando que no fim do ano passado estava lesionado e também por conta dos exageros na alimentação, ganhei singelos 10 quilos(atualmente estou com 73kg). Hoje, com praticamente 32 anos, está BEM mais difícil perder peso e voltar ao ritmo forte que tinha em 2014, quando fiz meu primeiro Ironman no Caribe. Mas estou me dedicando, para o mês de fevereiro, tenho as seguintes metas devidamente configuradas no meu Garmin Connect: 5 km de natação, 100km de corrida e 350km de ciclismo. São metas arrojadas, mas só “funciono” assim, com metas.

Para quem tiver curiosidade, posto diariamente meus treinos no Instagram, minha página lá é Instagram.com/bruno.mansano.

Aos poucos vou contando as novidades e meu progresso por aqui.

Um grande abraço e até mais.
BM

Que falta faz um diploma.

17030156

Antes considerado foragido, Eike Batista finalmente embarcou de NY para o Brasil, aproveitando as últimas mordomias do assento executivo da American Airlines. A PF foi busca-lo na porta do avião e de lá foi direto para o presidio. Tiraram sua peruca, rasparam o resto de cabelo que ainda tem e lhe deram uma camiseta branca, bem parecida com a que o “amigo” Sergio Cabral apareceu recentemente. A diferença é que Eike vai para Bangu 9, por não ter concluído o ensino superior, ainda assim deu sorte, pois se fosse para Bangu 8 seria bem pior.

Segundo os advogados de Eike, a estratégia da defesa ainda não foi definida, mas é bem provável que Eike tente algum acordo de delação para melhorar sua situação, seja no caso da cela ou da pena. Particularmente, penso que a delação dele pouco pode contribuir, a não ser que ele coloque o Lula no meio do caos carioca.

Como complemento ao tema, sugiro a leitura de um artigo publicado hoje no UOL pela jornalista Patrícia Calanzas em que ela relata suas impressões ao ter prestado serviço para Eike em NY.

Abraços,
BM

 

São tantos muros.

muro-eua-mex.jpg

Depois do já tão falado muro cinza do Doria, parece que o tema está mesmo em alta. A começar pela crise das penitenciárias de todo o Brasil, que desencadeou um show de horrores por parte dos governantes de alguns estados e do governo federal, sobretudo do digníssimo Governador do estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, que mandou construir um muro ao custo de R$ 800 mil reais no meio da penitenciária de Alcaçuz, em Natal, afim de separar duas facções criminosas, o PCC e o Sindicato do crime. Parece uma piada, mas não é.

Outro muro em alta é o dos EUA. O Presidente Norte Americano Trump está mesmo disposto a construir a barreira física prometida e, mais uma vez, reforçou que o México pagará pelo muro. Isso já causou mal-estar entre os presidentes dos dois países, já que Trump disse, através de seu Twitter®, que o Presidente mexicano Enrique Peña Nieto nem precisaria ir aos EUA para a reunião marcada para esta quinta-feira em Washington caso não fosse pagar pelo muro. Peña respondeu, também pelo Twitter®, que a reunião estava cancelada. A ideia de Trump é aumentar em 20% as taxas de importação de produtos mexicanos, com isso, o México acabaria pagando o muro. Até esse tema se desenrolar e pelo fato de Trump já ter assinado, na quarta-feira, uma ordem executiva para destinar fundos federais à construção do muro, pelo menos por enquanto, quem vai pagar o muro são os americanos.

E o Eike?! Ninguém sabe, ninguém viu. Disseram que estava em NY, com passagem só de ida. Já foi declarado foragido e procurado pela Interpol. Fato é que, se ele for para a Alemanha, com seu passaporte alemão, ele vai criar seu próprio muro de proteção e o governo brasileiro vai ficar à ver navios.

Sem falar no bandido Sérgio Cabral que, de acordo com os últimos levantamentos, tem 100 milhões de dólares em contas espalhadas pelo mundo. Se ele tem tudo isso, imagina quanto tem o Lula! No momento, Cabral está com medo de ir parar dentro dos muros de Bangú 8 e, por conta disso, estuda fazer um acordo de delação premiada afim de tentar abrandar sua pena.

Vamos acompanhar mais este capítulo da Lava Jato.

Um abraço,
Mansano.

Para hoje? O de sempre. A velha falta de educação.

post-ciclofaixa2

Ontem, aniversário de São Paulo e, consequentemente, feriado, fui aproveitar a folga para treinar bicicleta com meu irmão e primo. Como fazemos todos os sábados, fomos até a ciclovia na Marginal Pinheiros e nos deparamos com uma placa interditando a via, estava em reforça devido às fortes chuvas dos últimos dias. Bem, já que não ia dar para treinar lá, bora pra USP! Demos com a cara na porta, o segurança disse que estava fechada por causa do feriado, mesmo liberando a entrada de alguns carros.

Não tivemos outra escolha a não ser “passear” pela ciclo-faixa, aquela beleza cheia de postes, árvores, guias(uma delas furou o pneu do meu primo), sujeira e… Gente mau educada. Pessoas correndo a pé, pais com crianças andando no meio da pista, pessoas paradas no meio da faixa… Inacreditável!

O paulistano se diz um povo tão elitizado, educado, culto, mas não sabe respeitar nada e nem ninguém. Ciclo-faixa não é para praticar corrida, patins, skate ou pra ficar parado com seu filho, é uma pista exclusiva para bicicletas! O mínimo de respeito já ajudaria.

Um abraço e até mais.
BM

Cinza: a nova cor da moda

O ano começou pra valer, o prefeito já se vestiu de quase todos os personagens do Village People, a grande mídia continua tentando difamar toda e qualquer ação que ele toma ou anuncia e, recentemente, o assunto em pauta é a cor cinza. Não a dos livros e seus tons, mas a cor dos novos muros da cidade, que foi escolhida para apagar as sujeiras, pichações e alguns grafites.

Particularmente, cinza é a minha cor favorita, é a cor do meu carro, do meu sofá e logo será de algumas paredes lá em casa também, mas e os grafites cobertos? No geral, estou gostando do Doria como prefeito, mas talvez a ação dos grafites não tenha sido bem organizada ou pensada, não porque sou a favor de a cidade toda ter grafites, mas penso que alguns deles são bem legais, alguns de gosto duvidoso, mas tem belos trabalhos. Mas pouco se fala dos que ficaram, e dos espaços que serão reservados única e exclusivamente para isso. Ninguém precisa ficar chorando ou reclamando o resto da vida por isso, afinal, tem outros problemas MUITO maiores e mais importantes que precisam ser resolvidos. Hoje, muita gente está incomodada com a cor dos muros, sem sequer notar no que há(ou não) em volta deles. Por que falam tanto dos muros e não das árvores?

Acho que está faltando trabalho para esse povo, ou então, está sobrando pacote de dados no celular.

A volta.

Com medo, mas voltei.

Quem me acompanha há anos sabe que gosto de escrever, muitas vezes tenho muito à dizer mas o texto não sai, outras tantas, de pouco sai muito. Gosto de expor minhas ideias, alguns pensamentos, opiniões e, no fim das contas, acredito que aqui seja o lugar mais apropriado para isso, depois de alguns anos colocando tudo no Facebook, voltei.

Sem dúvida alguma o Facebook é o meio mais fácil, onde estão todos os amigos e conhecidos, dá pra curtir, comentar, etc., mas hoje vejo o Facebook como algo mais informal, em que muitas vezes às pessoas não querem saber o que você pensa sobre o novo prefeito da cidade, sobre a Lava-Jato ou qualquer assunto que não lhes agrade. Com isso em mente, voltei para cá. Com certeza o alcance será menor, mas tudo bem, o que eu quero mesmo é escrever, com a liberdade de quem gosta, sem se importar muito com o “ibope”.

Em breve vou falar sobre o Doria, sobre o Teori, Moro, sobre os pichadores, a direita, a esquerda, sobre o meu Corinthians, os esportes que tanto gosto, meus desafios pessoais, e tudo mais que me interesse. Como sempre, espero que alguns desses assuntos também desperte o interesse em vocês, caros leitores.

Um abraço e até a próxima.
BM